Num esforço coletivo com outras organizações de saúde do mundo, a Sociedade Brasileira de Diabetes tem se dedicado a esclarecer informações importantes sobre o cuidado que pessoas portadoras de diabetes devem ter diante da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Como se sabe, pessoas com comorbidades, como o diabetes, são mais suscetíveis a apresentarem complicações ao desenvolverem a Covid-19. Sendo assim, aqui você vai encontrar informações relevantes sobre as duas doenças e como se manter protegido. Continue a leitura!

O que é diabetes mellitus

O diabetes é uma doença provocada pela falta de produção suficiente ou pela má absorção da insulina produzida pelo organismo. Essa insulina, por sua vez, é o hormônio que tem a função de regular a glicose. Uma vez que essa produção ou absorção fica afetada, há um prejuízo ao organismo, já que a glicose deixa de entrar nas células para produzir energia.

Nessa condição, ela fica em excesso no sangue, provocando o que conhecemos como diabetes, que se dividem em dois tipos:

Tipo 1 tem característica hereditária e, normalmente, se manifesta ainda na infância ou na adolescência. Exige, em geral, o uso diário de insulina ou outros medicamentos para regular as taxas de glicemia (quantidade de glicose/açúcar) no sangue;

Tipo 2 – a causa desse tipo de diabetes está mais relacionada a hábitos alimentares inadequados e sedentarismo, ou seja, estilo de vida. Ela ocorre quando a insulina produzida pelo corpo não é eficiente para levar a glicose até as células.

Diabetes: uma doença silenciosa

Dificilmente a pessoa desenvolve sintomas que possam alertar para a existência do diabetes. Por isso, é importante fazer aferições (popularmente chamadas de medições) constantes para verificar os níveis de açúcar no sangue, que devem ficar entre 70 e 100mg/dL.

Em alguns casos, no entanto, pode haver manifestações de sinais que indicam o desenvolvimento da doença. São eles: fome frequente, sede constante, vontade de urinar várias vezes ao dia, fraqueza e feridas que demoram a cicatrizar.

Tratamento e controle são fundamentais

Manter o controle dos níveis de diabetes para evitar a hiperglicemia (quando os níveis glicêmicos estão acima de 100mg/dL em jejum ou acima de 140mg/dL duas horas após as refeições) ou a hipoglicemia (abaixo de 70mg/dL) é fundamental. A medida é essencial para evitar complicações da própria doença e, nos tempos atuais, pode ser um diferencial para evitar um agravamento, caso o portador de diabetes seja contaminado pelo novo coronavírus.

Mudanças no estilo de vida ajudam no controle

A prática de hábitos saudáveis contribui tanto com o controle quanto com a prevenção do diabetes. Conheça alguns deles:

  • Consumo diário de verduras, legumes e frutas;
  • Redução do consumo de gorduras, sal e açúcares;
  • Prática regular de atividades físicas;
  • Controle do peso corporal adequado;
  • Abandono do tabagismo (cigarro comum, eletrônico, charuto, narguile etc.).

Veja mais: Como aumentar a imunidade e se proteger durante a pandemia?

Complicações do diabetes

Fazem parte da lista de complicações do diabetes:

  • Neuropatia diabética – doença que afeta os nervos;
  • Problemas arteriais – que acabam provocando amputações;
  • Doença renal – provocada pela perda da capacidade dos rins de fazer a filtragem adequada;
  • Pé diabético – dificuldade de cicatrização de feridas;
  • Problemas nos olhos – os mais comuns costumam ser glaucoma, catarata e retinopatia diabética.

 

Por que as pessoas com diabetes têm mais chances de evoluir para quadros graves da Covid-19?

Isso ocorre porque, na maior parte das vezes, há um histórico de mau controle da doença e a presença de doenças concomitantes, especialmente em idosos. Sendo assim, a Sociedade Brasileira de Diabetes orienta que aqueles que apresentarem sintomas respiratórios da Covid-19 (com tosse, na maior parte das vezes), febre e desconforto para respirar, procurem o serviço de saúde mais próximo ou agende uma teleconsulta, se possível.

Compartilhe agora: