A busca pelo emagrecimento é um dos temas mais populares entre as famosas promessas de começo de ano. E nem sempre a motivação para isso é a melhora da saúde. Especialmente nesse contexto, em geral, o que conta é o culto à beleza e o status adquirido com o “corpo fitness”.

É assim que as dietas da moda entram em cena. Mas será que elas são mesmo a melhor opção para alcançar um peso corporal adequado? Vamos saber a seguir.

Leia mais: Treino em casa: saiba como evitar lesões

Dietas da moda podem gerar falsas expectativas

O termo “dietas da moda” quase sempre está atrelado a promessa de efeitos milagrosos do tipo “emagreça rápido”, “perca até 10kg em uma semana” ou “desintoxique seu corpo”. Diante disso, a tentação de começar uma dieta imediatamente é grande. Mas isso pode ser uma armadilha, principalmente quando a sua saúde está em jogo.

De acordo com o Ministério da Saúde, as dietas da moda que prometem redução de peso rápida e sem sacrifícios são dissociadas dos diversos determinantes da saúde e da nutrição e constituem padrões de comportamento alimentar não usuais, adotados entusiasticamente por seus seguidores.

Além das promessas de resultados rápidos, os especialistas explicam que o sucesso delas, em geral, vem especialmente da motivação inicial das pessoas pelo contato com algo novo. No entanto, a adesão à dieta costuma ser temporária, sendo usualmente abandonada em poucas semanas.

Afinal, quem aguenta seguir por muito tempo uma rotina alimentar restritiva e que, dificilmente, se encaixa no seu estilo de vida?

O Ministério da Saúde chama a atenção, ainda, para o fato de as dietas da moda não possuírem embasamento científico, especialmente no que diz respeito às expectativas irreais relacionadas à velocidade e à quantidade de peso perdido. E o resultado deste cenário pode ser sentido no corpo, e não, necessariamente, na forma de emagrecimento.

Por seu caráter restritivo, as dietas da moda podem causar deficiências nutricionais e potenciais riscos à saúde, se conduzidas por um longo período. Se há predisposição para alguma doença que você desconheça, as dietas da moda podem tratar de trazer isso à toa. Afinal, sem a ingestão adequada de nutrientes, o organismo começa a falhar e dar seus sinais de alerta.

Mas afinal, como cumprir a promessa de emagrecer sem afetar a saúde?

Leia mais: Alimentação e saúde: qual a relação?

É possível emagrecer sem utilizar as dietas da moda. Veja como!

Antes de tudo, é importante que você saiba que não é recomendada a adoção de qualquer tipo de dieta sem a orientação de um profissional de saúde, especialmente o nutricionista. E isso vale para todos os objetivos: emagrecimento, manutenção de um peso ou uma mudança na rotina alimentar.

Para que isso aconteça de forma saudável e eficiente – ou seja, para que a perda de peso se mantenha – os especialistas na área são unânimes em dizer que a combinação de reeducação alimentar, prática regular de atividade física e adoção de outros hábitos saudáveis de vida (como controlar o estresse e dormir bem) é a melhor escolha.

O processo de emagrecimento envolve vários aspectos que vão além de comer menos. Por isso, essas ações associadas são tão recomendadas — ainda que levem a um emagrecimento mais lento. Nesse ponto, vale lembrar que a eficiência é mais importante do que um resultado rápido e passageiro.

Falando especificamente da alimentação, o Guia Alimentar para a População Brasileira ensina que a alimentação ideal é sempre adequada ao indivíduo, respeitando suas necessidades clínicas, seu estilo de vida e os produtos que têm à disposição. Nesse contexto, quanto mais variadas forem as refeições, mais nutrientes são consumidos — o que é sempre recomendado.

No caso das dietas da moda, usualmente, os cardápios são estabelecidos levando-se em conta apenas restrição de calorias e nutrientes. Nada mais é considerado. Por isso, além de difíceis de serem seguidas, elas acabam atrapalhando a mudança de hábitos, que é o que favorece a manutenção da sua meta de peso.

Com isso em mente, confira algumas dicas simples de como emagrecer de forma saudável, no tempo certo, sem precisar apelar para dietas da moda.

Leia mais: O que é colesterol e como faço para diminuir o colesterol ruim?

7 dicas práticas para um emagrecimento saudável
  1. Faça com que alimentos in natura componham a maior parte de todas as refeições, especialmente frutas, verduras e legumes;
  2. Evite alimentos industrializados, especialmente os que vêm em caixas, latas, saquinhos e que sejam congelados ou embutidos (frios, salsinhas, linguiças);
  3. Tente não consumir sucos ou outras bebidas açucaradas ou de sabor adocicado (como refrigerantes e chás diet);
  4. Alimentos ricos em açúcar, sal, além de bebidas alcoólicas, não precisam fazer parte da sua alimentação de rotina. Consuma esses itens eventualmente e sempre com moderação;
  5. Não precisa comer quando não estiver com fome, mas tente não ficar muito tempo sem se alimentar, para que a fome não se acumule para a próxima refeição;
  6. Inclua a prática de atividade física na sua rotina, mesmo que em doses moderadas, de 20 a 30 minutos por dia;
  7. Busque formas de manter o estresse controlado e invista na qualidade do seu sono para que os hormônios que controlam o apetite se mantenham equilibrados.

Se você ainda não conhece a opção de serviço com a equipe multidisciplinar, incluindo nutricionistas que podem dar orientações de uma alimentação saudável, clique para conhecer.

Compartilhe agora: