A H1N1 é um subtipo de vírus Influenza (da gripe) que surgiu como combinação de segmentos dos vírus da gripe aviária, da gripe suína e da gripe humana. O nome gripe suína, inclusive, foi usado para designar a doença quando ela se tornou mundialmente conhecida, durante a epidemia ocorrida entre 2009 e 2010. Outro nome usado para a H1N1 é gripe A.

Quais os principais sintomas da H1N1?
  • Dor muscular;
  • Dor de cabeça;
  • Dor de garganta;
  • Dor nas articulações;
  • Irritação nos olhos;
  • Tosse;
  • Coriza;
  • Fadiga (cansaço);
  • Falta de apetite.

Além dos sintomas mais comuns da doença, podem ocorrer complicações em algumas situações como: vômitos, diarreia, dificuldade de respirar, febre alta de início súbito (acima dos 38°C), inflamação do ouvido, pneumonia, sinusite, inflamação da garganta, inflamação cardíaca, convulsões.

Como a H1N1 é transmitida?

A H1N1 é transmitida da mesma maneira que a gripe comum, de pessoa para pessoa, por meio de gotículas de tosses e espirros de quem está infectado. Em algumas ocasiões, pode haver contaminação por meio de contato com objetos que tenham sido tocados por pessoas infectadas e logo depois por pessoas sadias que então levaram a mão à boca ou nariz.

Ou seja, a forma de infecção pela doença é similar à de contaminação pelo novo coronavírus. No entanto, a Organização Mundial da Saúde esclarece que a capacidade de contágio da H1N1 é até 10 vezes inferior a da SAR-CoV-2.

Veja mais: Coronavírus: o que você precisa saber?

Como é feito o diagnóstico e o tratamento da doença?

O diagnóstico é realizado por meio de exame físico feito por um médico, avaliando os sintomas apresentados, e, se necessário, análise em laboratório da secreção nasofaríngea (do nariz e da garganta).

O tratamento pode ser realizado com o uso de medicamentos prescritos pelo médico, hidratação, repouso e alimentação saudável.

Existem modos de prevenir a H1N1?

Atualmente, as vacinas trivalente e tetravalente contemplam a cepa para proteção contra a H1N1. Na rede pública de saúde, anualmente, a vacina trivalente faz parte da Campanha Nacional de Vacinação Contra Gripe.

Importante!

A vacina contra Influenza A /H1N1 é segura e protege quem é vacinado contra a doença, podendo ser aplicada nas pessoas que fazem parte do grupo de risco.

Além disso, como forma de prevenção deve-se:
  • Lavar as mãos com a água e sabão depois de tossir, espirrar ou limpar o nariz;
  • Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
  • Cobrir a boca e o nariz ao tossir e espirrar;
  • Evitar ambientes fechados e aglomeração de pessoas;
  • Evitar o contato direto com pessoas infectadas ou usar máscara de proteção;
  • Levar consigo álcool em gel para higienizar as mãos, caso não possa lavá-las com água e sabão.

Veja mais: Conheça o Saúde a Qualquer Hora e cuide do seu bem-estar!

Quem tem mais riscos de desenvolver a doença?
  • Idosos;
  • Crianças menores de dois anos;
  • Gestantes;
  • Pessoas com doenças crônicas como diabetes, doença cardíaca, pulmonar ou renal crônica;
  • Pessoas com deficiência imunológica (como pacientes com câncer ou em tratamento para AIDS/HIV);
  • Pessoas com obesidade mórbida;
  • Pessoas com doenças provocadas por alterações da hemoglobina, como anemia falciforme;
  • Profissionais da saúde.

Gostou desse artigo? Continue a visita pelo blog.

Compartilhe agora: