Já ouviu falar em jornada do paciente? Antes de detalhar tudo o que ocorre nesse processo com o paciente, é preciso compreender que o conceito de jornada se aplica aqui como um conjunto de fatores que contribuirão para que o paciente alcance aquilo de que precisa.

Sendo assim, a jornada do paciente é uma experiência que se dá desde o surgimento de algum sintoma ou dúvida e o leva a uma consulta, passando pela avaliação de um profissional de saúde, pelo registro de suas queixas e pelo acompanhamento no pós-consulta.

Isso significa que a questão envolve algo que vai muito além do atendimento no consultório médico, ou consulta por videoconferência, mas também um suporte que pode ser dado antes ou depois dessa consulta, favorecendo ações preventivas em saúde.

Por que a jornada do paciente é importante?

Não é incomum que, ao percebermos qualquer sintoma de mal-estar, busquemos alguma resposta rápida na internet. Prova disso são dados do Google que indicam que cerca de 70 mil buscas relacionadas à saúde sejam realizadas na plataforma por minuto. O problema disso, no entanto, está no fato de que muitas das respostas obtidas estão erradas. Segundo estudo feito pela Edith Cowan University, da Austrália, os resultados obtidos são assertivos apenas 1/3 das vezes.

Não à toa, o setor de saúde tem investido, amparado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em oferta de serviços de teleorientação que sejam capazes de dar suporte ao paciente em toda a sua jornada. Isso significa ter acesso a profissionais que possam traçar o perfil do paciente, de acordo com sua demanda, fazer o registro de sua queixa ou dúvida e direcioná-lo ao profissional apropriado. Entenda melhor como funciona!

Veja também: Teleorientação e teleconsulta: qual a diferença

Traçando a jornada!

Ao sentir que algo não vai bem, o paciente busca ajuda para compreender o que aquele sintoma pode representar e o que deve ser feito a partir dali.

Nesses casos, os serviços de teleorientação, via telefone ou aplicativo, são bons pontos de contato, pois disponibilizam profissionais capacitados a exercer a triagem e encaminhar o paciente para outros profissionais, se for o caso, como nutricionista, orientador esportivo, psicólogo ou até mesmo um médico, dependendo da queixa.

Nesse momento, é levantado o perfil e histórico de saúde do paciente e registrada também a sua queixa ou dúvida. Desse modo, em um contato seguinte, tudo o que foi relatado pode ser consultado pelo profissional que der continuidade ao atendimento, melhorando a experiência do paciente.

É importante ressaltar que, por se tratar de uma jornada, o paciente passa por etapas como:

  • Atendimento inicial e orientação primária;
  • Encaminhamento para profissional adequado, se for o caso;
  • Consulta, se for o caso;
  • Pós-consulta;
  • Monitoramento da condição de saúde.

Vale ressaltar que os serviços de teleorientação também contribuem para a jornada do paciente que busca mais qualidade de vida e prevenção em saúde, já que oferecem indicações do que pode ser feito para melhorar questões como: alimentação, prática de atividade física, regulação do sono, controle do estresse, uso adequado de medicamentos etc.

Leia também: Você tem insônia? Entenda tudo sobre essa condição e saiba como combatê-la

Isso significa dizer que, além de melhorar a experiência de quem usa o serviço, a jornada do paciente contribui também para que o paciente se engaje em um processo de autogestão da própria saúde, o que pode lhe garantir mais longevidade.

Quer saber mais sobre serviços que podem ajudá-lo a ter todo o seu histórico em saúde e receber orientações sempre que precisa? Encontre um plano que melhor se adeque ao seu perfil. Basta um clique aqui.

Se você quer ver mais notícias sobre saúde, continue a visita pelo nosso blog.

Compartilhe agora: